O assunto é TV, mas saiu na Agência

Reportagem sobre a TV digital. Houve um adiamento na decisão de 14 países africanos, que pode beneficar o sistema nipo-brasileiro. Clique aqui para ver como saiu na Agência. Ou leia o texto aí embaixo.

09:57
19/05/2010
África adia decisão sobre sistema de TV digital

Eduardo Castro
Correspondente da EBC para a África

Brasília – A Comunidade para o Desenvolvimento da África Austral, conhecida por SADC (sigla em inglês para Southern Africa Development Community) adiou a decisão sobre qual padrão irá adotar para a implementação da TV digital no Sul do Continente Africano. A informação foi confirmada pela Embaixada do Brasil em Maputo (capital de Moçambique), uma semana depois de um encontro de ministros de telecomunicações do SADC em Luanda, Angola.

A decisão só sairá depois de uma análise de uma força-tarefa técnica que trabalhará por dois meses. A medida reabre as portas para que o padrão escolhido seja o nipo-brasileiro ISDB-T (Integrated Services Digital Broadcasting Terrestrial).“Neutralizamos a pressão europeia, que era muito forte pela adoção do sistema deles, o DVB”, disse o ministro-conselheiro da Embaixada do Brasil em Maputo, Nei Bitencourt. “Estamos mais otimistas porque a questão será tratada em nível técnico”, afirmou.

A SADC é formada por 14 países da África Austral – África do Sul, Angola, Botsuana, Congo, Lesoto, Madagascar, Malawi, Maurício, Moçambique, Namíbia, Suazilândia, Tanzânia, Zâmbia e Zimbábue. No total, eles têm populações somadas de mais de 210 milhões de pessoas. No encontro em Luanda foi reafirmada a decisão de que o padrão de TV digital deverá ser o mesmo para todos.

O adiamento também agrada ao Brasil porque, num encontro preparatório à reunião dos ministro da SADC em Angola, no Lesoto, o representante da União Internacional de Telecomunicações (UIT), David Botta, quebrou a esperada neutralidade ao fazer considerações técnicas contrárias ao sistema nipo-brasileiro. Botta também sustentou que um entendimento anterior entre a SADC e a UIT obrigava ao grupo adotar o sistema europeu. As alegações foram desmentidas pelos técnicos brasileiros e japoneses presentes.

A postura de Botta levou o governo brasileiro a fazer um protesto à UIT, que tem sede em Genebra, na Suíça. O Japão reclamou, mas pode juntar-se ao Brasil no protesto formal. Hoje (19) a embaixada japonesa em Maputo recebeu cópia da reclamação brasileira, que já foi encaminhada ao governo moçambicano. As representações brasileiras em Gaborone (Botsuana) e Pretória, (África do Sul) já fizeram o mesmo.

Também hoje (19), o embaixador japonês em Moçambique avisou à embaixada brasileira que o seu governo prepara a vinda de um grupo de técnicos a Maputo para reforçar as qualidades do ISDB-T aos especialistas moçambicanos e de outros países da SADC. Há dez dias, Japão e Brasil encaminharam um proposta formal de adoção do sistema à África do Sul, que responde por 35% do PIB da África, na tentativa de atrair o país e os países vizinhos para o sistema nipo-brasileiro.

Além de Brasil e Japão, mais seis países adotaram o sistema ISDB-T : Argentina, Chile, Peru, Venezuela, Costa Rica e Equador.

Edição: Talita Cavalcante

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s