Oh! Mas que surpresa…

Reportagem do Vinicius, na Agência Brasil, sobre o destino dos estádios depois da Copa. Não é por falta de exemplo, nem de aviso. Para este país aqui, e para o próximo também.

Aqui a galeria completa das fotos do Marcello Casal.

07/07/2010
Manutenção de estádios sul-africanos depois da Copa do Mundo preocupa especialistas

Vinicius Konchinski
Enviado especial

Joanesburgo – A reforma e a construção dos dez estádios da Copa do Mundo custaram cerca 16,5 bilhões de rands (R$ 3,8 bilhões) ao governo da África do Sul. Obras modernas e belíssimas foram realizadas no país para abrigar os 64 jogos do torneio. Entretanto, a utilização e a manutenção desses locais após o Mundial já preocupam especialistas antes mesmo da partida final.

Para empresários do futebol ouvidos pela Agência Brasil, os estádios sul-africanos tiveram um custo muito alto e foram projetados com capacidade maior que a necessária. Serão, por isso, em sua opinião, insustentáveis financeiramente depois da Copa.

O diretor da companhia sul-africana Stadium Management, Barry Pollen, afirma que cinco dos seis novos estádios da África do Sul ficam em cidades onde não há um time de futebol nem de rugby – esporte popular no país – interessados ou capazes de mantê-los. Essas arenas estão localizadas na Cidade do Cabo, em Durban, Nelspruit, Port Elizabeth e Polokwane.

“Na Cidade do Cabo e em Durban, há times de rugby tradicionais, mas eles já têm seu próprio estádio e não pretendem sair dele”, disse Pollen. “Já nas outras cidades, não há nada. A construção de estádios com capacidade para 40 mil pessoas foi um desperdício de dinheiro público.”

De acordo com Pollen, estádios, em geral, já são obras que dificilmente dão lucros aos seus investidores. Na África do Sul, entretanto, a falta de um plano de negócios para essas arenas tornou os projetos ainda mais impossíveis de se autofinanciar após a Copa.

“Os estádios deveriam ter espaços para convenção, estrutura para shows, centros de exposição ou até um hotel”, afirmou. “Isso traria mais receita para quem o mantém. Faria com que a estrutura fosse melhor aproveitada.”

O presidente da Liga Sul-Africana de Futebol, Kjetil Siem, confirma que os clubes do país ainda não têm condições de assumir o custo anual aproximado de 10 milhões de rands (R$ 2,3 milhões) para a manutenção de um dos menores estádios construídos para o Mundial. Ele acredita que, pelo menos durante os próximos anos, o governo sul-africano vai arcar com essas despesas.

Para ele, a utilização dos estádios da Copa também é um desafio para a liga de futebol do país. Atualmente, os jogos do campeonato sul-africano têm uma média de 11 mil espectadores. Para que os novos estádios ficassem lotados, essa média precisaria quadruplicar.

Siem espera, porém, que os estádios da Copa sejam mais um atrativo para os torcedores da África do Sul. “Com estádios mais seguros, confortáveis, mais sul-africanos podem tornar-se frequentadores dos jogos”, avaliou. “Isso faria esses estádios mais úteis”.

Anúncios

2 comentários em “Oh! Mas que surpresa…

  1. Falta de planejamento para obras desse porte e desse vulto só merecem o título que você deu à matéria! Será que no Brasil vão cometer o (s) mesmo (s) erro (s)? Esperamos que não, pelo bem dos recursos públicos…

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s