Luz pré-paga. Aqui tem. E Cabo Verde vai ter.

Na Agência Brasil.

23/09/2010
Cabo Verde adota sistema pré-pago para fornecimento de energia a órgãos públicos

Eduardo Castro
Correspondente da EBC para a África

Maputo (Moçambique) – O governo de Cabo Verde vai instituir o sistema pré-pago para racionalizar o uso da energia elétrica nos edifícios públicos. Um teste já foi feito na capital Praia e, até o fim do ano, será expandido para 500 locais em todo o arquipélago. No projeto-piloto, 100 medidores foram instalados em repartições públicas. “Este tipo de sistema estimula o uso racional de energia, permitindo aos responsáveis pelos serviços administrativos do Estado uma gestão mais fácil da despesa e maior transparência e qualidade de serviço”, diz um comunicado do Ministério do Turismo, Indústria e Energia de Cabo Verde.

Segundo o Presidente da Electra, Antão Fortes, empresa de eletricidade e água que participou do estudo-teste, já há interesse de várias repartições públicas em implantar o sistema. Fortes disse à TV pública caboverdiana que ainda não há previsão de quando a sociedade civil poderá optar pelo serviço pré-pago de distribuição de energia, como já ocorre em outros países.

Em Moçambique, o sistema pré-pago (conhecido como “credelec”) é muito comum. O consumidor compra créditos nos postos da empresa estatal Electricidade de Moçambique e insere os números em um terminal dentro de casa, como se digitasse a senha em uma caixa eletrônica de banco. Um marcador indica os quilowatts/hora (kWh) disponíveis, que diminuem à medida que são usados. O sistema calcula o uso mensal de cada casa e acende uma luz amarela quando o crédito atinge o equivalente ao consumo de uma semana. A luz passa para cor vermelha quando o prazo cai para 24 horas. Ao final dos créditos, a energia é imediatamente cortada.

Desde o ano passado, Cabo Verde vive episódios de falta de energia. Segundo a empresa Electra, por avaria nos equipamentos. O país vai começar em breve a construir quatro parques eólicos (que transformam a força dos ventos em energia elétrica) nas ilhas de Santiago, São Vicente, Boavista e Sal, orçados em R$ 170 milhões, além de dois parques fotovoltaicos (que geram eletricidade a partir da energia solar).

Edição: Vinicius Doria

Anúncios

Um comentário em “Luz pré-paga. Aqui tem. E Cabo Verde vai ter.

  1. Quando li sobre isso a primeira vez, comentei que a utilização do sistema nos órgãos públicos seria muito importante e um excelente mecanismo de controle de gastos. Mas não sabia que existia para a população civil aí em Moçambique. O Brasil podia adotar aqui também!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s