Eleição aqui na África

A EBC montou uma página especial para a apuração.

Se você acompanhou conosco as eleições municipais de 2008, vai se lembrar que era a contagem com números oficiais mais rápida que havia.

Do site, seguia direto para a TV Brasil. Os outros estavam levando o milho e a gente já estava voltando com a broa.

O esquema agora é o mesmo.

Você chega lá clicando AQUI, em http://apuracao.ebc.com.br/

Abaixo, as eleições rolando na África. Reportagem da Agência Brasil.

03/10/2010
Brasileiros em Moçambique começaram a votar às 3h da manhã

Eduardo Castro
Correspondente da EBC na África

Maputo – Os 463 eleitores brasileiros cadastrados em Moçambique começaram a votar às 8h, o que correspondia às 3h no horário de Brasília, nas duas seções montadas no país. Moçambique tem o segundo maior contingente de eleitores na África, ficando atrás apenas de Pretória (Africa do Sul), com 476.

A capital moçambicana é uma das 126 cidades fora do Brasil onde estão instaladas 94 seções de votação em outros países. Há quem venha de muito longe para exercer a cidadania.

“São mais ou menos 1.800 quilômetros de onde eu moro para cá”, dizia João Luis de Castro, natural de Caratinga (MG), logo depois de votar. Há cinco anos em Moçambique, ele vive em Angonia, província de Tete, em uma missão religiosa jesuíta. “Vim só para votar. Acho que é um direito do qual não podemos abrir mão. É o jeito que temos de mostrar nossa satisfação ou descontentamento.”

João saiu da fazenda em que mora em um caminhão, indo até a cidade de Beira. De lá, percorreu mais 1000 quilômetros de ônibus até Maputo.

O fato de segunda-feira (4) ser feriado local (que comemora o fim de 16 anos de guerra civil, em 1992) não alterou os planos do casal Renata Morais, nascida em Salvador (BA) e Juscelino Mota, de São Paulo (SP). “Não fui para a praia no feriado prolongado, para cumprir com o dever cívico” diz ele. Para Renata, valeu sacrificar o dia de muito sol. “É importante sentir-se participando, mesmo longe”, opina.

A presidente da mesa de votação de Maputo nunca teve a chance de votar no Brasil. Ela encara o trabalho no domingo com prazer. “Eu saí do Brasil no auge do regime militar, em 1978, com 23 anos. Tinha um título velho, mas nunca tinha tido a chance de votar”, lembra Irene Rosa de Souza, natural do Rio de Janeiro (RJ). “Aqui participo com muito orgulho. Acho que o processo democrático não tem preço. E acredito que as pessoas não deveriam desperdiçar a oportunidade de votar.”

Pelos dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), 200.392 brasileiros estão aptos a votar no exterior. Quem, mesmo vivendo fora do país, mantiver o título cadastrado no Brasil e não for votar, precisa justificar a ausência.

Edição: Graça Adjuto

Anúncios

Um comentário em “Eleição aqui na África

  1. Estava com a TV ligada na Bandeirante e com a página da apuração da TV Brasil aberta: os nºs da Band estão atrasados… além de o site permitir acompanhar a apuração por Estado, enquanto a TV só vai informando os estados de forma fracionada. SHOW SHOW SHOW. Acho que vou ficar seguindo só por aqui mesmo hahaha.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s