A Tunísia e a Revolução Facebook

É impossível dizer que uma revolução ou revolta popular aconteceu por este ou aquele motivo. É sempre uma conjunção de fatores. Muitas vezes, só uma investigação detalhada, mais distante no tempo, coloca as coisas em real perspectiva.

Mas nossa geração tem pressa. Nosso jornalismo mais ainda. Já achou motivos, culpados, razões, caminhos, saídas. Pelo menos, acha que achou.

17/01/2011
Governo provisório da Tunísia nomeia ministros da oposição e liberta presos políticos

Eduardo Castro
Correspondente da EBC na África

Maputo (Moçambique) – O primeiro-ministro da Tunísia, Mohammed Ghannouchi, anunciou hoje (17) a formação de um governo de unidade nacional. Na sexta-feira (14), o presidente da Tunísia, Zine al-Abidine Ben Ali, abandonou o país depois de 23 anos no poder. Os titulares das pastas do Interior, Relações Exteriores e Defesa mantiveram os cargos, bem como o próprio primeiro-ministro, que vai liderar o gabinete até a convocação de novas eleições.

Três líderes oposicionistas foram indicados para os ministérios da Educação Superior, da Saúde e do Desenvolvimento. O governo também anunciou a libertação de presos políticos e a suspensão de qualquer restrição ao trabalho da imprensa.

Em entrevista coletiva, o primeiro-ministro disse estar comprometido em “reestabelecer a calma e a paz no coração de todos os cidadãos”, bem como fazer as reformas política e econômica.

Durante a noite, tiros foram ouvidos nas proximidades do palácio presidencial, em Cartago, segundo relatou a BBC. Soldados patrulham as ruas de Tunis e outras cidades importantes. No domingo (16), o ex-chefe da segurança presidencial foi preso, acusado de fomentar a violência.

Por causa da instabilidade política, já começa a faltar combustível nos postos do país. As filas são enormes. Os saques constantes fizeram com que moradores bloqueassem as próprias ruas com pedras e troncos de árvores para proteger as próprias casas. Há reclamações de que faltam pão e farinha nos mercados da capital. Um grupo de cidadãos suecos, que disse estar no país para caçar, foi atacado por populares porque estavam carregando armas em um táxi.

Na sexta-feira (14), o então presidente Ben Ali, que governou a Tunísia por 23 anos, abandonou o poder e buscou abrigo na Arábia Saudita. No dia seguinte, a Corte Suprema determinou que o afastamento de Ben Ali é definitivo e que novas eleições presidenciais devem ocorrer em, no máximo, 60 dias.

Durante um mês, manifestantes fizeram protestos diários em cidades do interior, contra o aumento dos preços dos alimentos e a falta de empregos. A exemplo do que aconteceu em setembro do ano passado nos protestos de rua em Maputo, Moçambique, os meios eletrônicos foram fundamentais para mobilizar a população. Em Moçambique, o veículo usado foi o telefone celular e as mensagens de SMS (sigla em inglês para serviço de mensagens curtas). Na Tunísia, o grande catalisador foram os sites de relacionamento.

Alguns tunisinos que viviam no exterior chegaram a Tunis para a grande manifestação de sexta-feira passada convocados pela rede mundial de computadores. Um deles, Mohamed Ben Hazouz, que mora em Paris, citado pela Voz da America, disse que essa foi a “primeira ciber revolução do mundo”. O movimento também é chamado nas redes sociais de Revolução de Jasmim ou Revolução Facebook.

Alguns sites também creditam às informações vazadas pelo site Wikileaks a gota que faltava para fazer transbordar a insatisfação com o governo. Os vazamentos falam em atos de corrupção atribuídos à integrantes da família do ex-presidente.

Edição: Vinicius Doria

Anúncios

2 comentários em “A Tunísia e a Revolução Facebook

  1. A Revolução Cibernética só confirma quão pequeno fica o planeta sob a ótica da informática. Quando mais cedo li a notícia na internet, logo pensei: superou em muito o modus operandi utilizado em Maputo! Aí está o resultado do poder de alcance das Redes Sociais….

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s