Eles caíram fora. Mas têm o que festejar

Os Bafana Bafana estão fora da Copa. É a primeira vez que o anfitrião não se classifica para segunda fase. Mas o sul-africano tem muito o que comemorar. E saiu pra rua hoje em Soweto.

Aqui as fotos do Marcelo Casal.

E aqui a reportagem que foi ao ar no Repórter Brasil. Lá, na hora, lembrei da musiquinha que tocava na abertura das jornadas da Rádio Bandeirantes, na década de 80:

“Hoje é dia de jogo,
E eu me vejo no meio do povo
A cantar…”

Anúncios

Bola rolando no Soccer City…

Primeiro dia de jogos, com estréia dos Bafana (que quer dizer “meninos”, aliás).

Veja como eles viram.

Aqui, pelos olhos de um sujeito chamado… Bafana. Rá!

E aqui pelos olhos de um outro sujeito – este que tecla.

No Repórter Brasil tem mais da copa e da África. Passe lá clicando aqui.

Andei, andei… até ficar com dó de mim

Onze e dez da manhã, no carro, a caminho da posição para entrar ao vivo no Repórter Brasil Manhã.

Pra quem não sabe o que é: “posição para entrar ao vivo” é um lugar onde ficam as câmeras e equipamentos da empresa que envia o sinal para o satélite. É sempre num ponto que simbolize bem a cidade ou evento de que vamos tratar. Você chega lá, liga pro Brasil, pergunta se eles estão vendo e ouvindo bem e espera a hora de entrar ao vivo. Hora exata. Cada minuto de satélite perdido não tem volta. E custa caro.

Pois bem: aqui em Joanesburgo, o lugar fica bem na frente do Soccer City, o estádio da abertura. Por causa dela, aliás, pára o trânsito. A turma não tem dúvida: sai do carro e começa a dançar.

Pelo GPS estamos a três quilômetros do lugar. Depois de algumas contas (jornalista nunca é bom nisso), concluímos que seria o único jeito: saímos do carro – eu e o cinegrafista Gilvan Alves – e fomos a pé, pelo meio dos carros, pelo mato, pela terra, pelo trilho do trem. E fazendo imagens pra usar mais tarde…

Chegamos no lugar dois minutos antes do canal abrir. Deu tempo, como você viu no Repórter Brasil Manhã desta sexta-feira. E vê de novo aqui.

Pra fechar de trânsito: incrível como os motoristas aqui se perdem. E não se acham. Perguntar é pior: nunca ouvir ninguém dizer “não sei onde fica”. Preferem dizer “acho que fica ali”. E nunca é ali. É lá, do outro lado.

Perguntei pro nosso ás no volante, o Tabo: “meu caro, por que você se perde tanto?” Porque eu nunca vim aqui pra esse lado. Só conheço Soweto.” E, percebi, ele tem receio de ir aonde, talvez, não seja exatamente bem recebido.

Eu também teria.

O jeito é sair mais cedo. Confiar no mapa. No Tabo. E não perguntar nada pra ninguém.

Os bafana e os bafana

Enquanto eu gravava a reportagem que publiquei ai embaixo pra TV Brasil, Marcelo Casal fotografafa para a Agencia Brasil. Olha aqui o resultado. E foi soh o primeiro dia de grande manifestacoes de rua por aqui.

Eu e os Bafana

Reportagem da TV Brasil, com numeros da FIFA. Meio exagerados, mas… vamos lah.

Veja aqui como foi a farra na quarta-feira. Ateh o fim da Copa, outras virao.

PS: ainda sem acentos. Vamos respeitar a maioria e nao mudar a configuracao do teclado do hotel.